AGORA TAMBÉM TRADUZIDO PARA INGLÊS E FRANCÊS

Espiritism&AllanKardec

S'il vous plâit, en cas de doute, écrivez à:
Please, if in doubt, write to:

silmaragarcia@br2001.com.br



V I S U A L I Z A Ç Õ E S

27.000

Congratulations for this blog

Congratulations for this blog
Trabalhadores da Paz

terça-feira, 24 de agosto de 2010

DESPERDÍCIO - PALESTRA

E embora atual, há 150 anos no L.E. os amigos espirituais já nos alertavam quanto aos excessos de toda espécie, que levariam o homem à sua falência.

E vemos hoje uma voraz preocupação mundial devido à falta de controle do excesso de consumo levando ao aquecimento planetário.

Empresas de todos os continentes são convidadas a trabalharem em projetos sociais voltados a economia de energia, pois os cientistas das principais potências já nos advertiram quanto à necessidade emergencial de se controlar o consumo exagerado ou a Terra não mais será este belo manancial.

Joanna de Angelis através da psicografia de Divaldo P.Franco no livro “Após a Tempestade” diz que infelizmente "Por onde passam o homem e a civilização ficam os sinais danosos de sua jornada” E que quando o homem aliar sua inteligência a um verdadeiro sentimento de amor ele irá transformar sua realidade.

O assunto é gravíssimo e, sem sombra de dúvida, todos temos a nossa parcela de culpa no que diz respeito ao aquecimento global. Interesses financeiros levaram as grandes nações a envolverem cada vez mais com investimentos em fábricas, usinas, indústria bélica, automobilísticas e outras tantas esquecendo completamente do controle ecológico.

Como Espíritas sabemos que somos espíritos imortais em freqüente evolução que vamos e voltamos do plano espiritual a fim de atingirmos a perfeição por isto mais do que nunca precisamos cuidar de nosso planeta para que em nossos inúmeros retornos possamos encontrar uma vida sustentável.

No L.E. Q.705 Allan Kardec pergunta: “Porque nem sempre a terra produz bastante para fornecer ao homem o necessário?”, ao que a espiritualidade responde: “É que, ingrato, o homem a despreza! Ela, no entanto, é excelente mãe. Muitas vezes, também, ele acusa a Natureza do que só é resultado da sua imperícia ou da sua imprevidência”...

É evidente que em uma sociedade de consumo, nenhum de nós se contenta apenas com o necessário. A mídia se encarrega de despertar o consumo do “não necessário”.

Precisamos nos unir imediatamente para, mais rapidamente, conseguirmos alavancar a nossa Terra para um mundo regenerado.

Quando vemos notícias de que as Nações estão preocupadas em busca de uma solução para diminuir a poluição ambiental, entendemos que já esteja havendo um processo bastante relevante no que diz respeito à maior conscientização de que precisamos nos unir para resolver nossos problemas.

Infelizmente o homem, não cuidou do que é seu, e agora está sofrendo suas conseqüências.

A D.E. também esclarece que Deus nos oferece tudo aquilo que precisamos para levarmos nossa vida, tanto no que diz respeito às coisas materiais como as espirituais.

Mas o homem por ganância, cuida de se exceder em tudo...

Hoje já existem frentes mundiais trabalhando em prol de melhorarem a condição do planeta e um documento, foi elaborado visando à redução de gases poluentes em até 80% até o ano de 2050. Todos deverão investir em meio ambiente e enviar relatórios para comunidades internacionais.

No L.E. Q.799 Allan Kardec pergunta: ”De que maneira o Espiritismo pode contribuir para o progresso?”, a resposta é taxativa: “Destruindo o materialismo, que é uma chaga da sociedade”.

Vejam que há tempos temos notícias e somos avisados sobre nosso consumismo exagerado que nada se distingue do materialismo.

Uma das mais prestigiadas organizações não governamentais do mundo, o Instituto Worldwatch, com sede em Washingtom, divulga anualmente o relatório “Estado do Mundo”, uma grande compilação de dados e estudos científicos que revelam os estragos causados pelo atual modelo. No último relatório afirmou-se que “o consumismo desenfreado é a maior ameaça à humanidade”.

Infelizmente estamos vivendo tempos em que o TER é mais importante do que o SER.

Há apelos de toda espécie mostrando a imagem do homem feliz como sendo aquele que tem muitas posses. Infelizmente vemos inclusive frentes religiosas pregando prosperidade como sendo sinônimo de benção de Deus.

Não é de hoje que a briga pelo poder faz com que o homem destrua parte do planeta. A corrida “pelo ouro”, enriquecer a qualquer custo faz com que o homem torne-se egoísta, materialista fugindo a todos os princípios de caridade.

Se voltarmos a apenas 50 anos atrás o que tínhamos como consumo natural:
- Ki-Chute / Bamba / Conga
- Havaiana / baiana
- Sapato Vulcabrás (marrom / preto)
- TV Branco e Preto (colorida com papel celofane)
- Máquina de escrever manual (corrigia-se os erros com radex)
- Telefone em casa só rico tinha, era caríssimo ter uma linha telefônica... Utilizavam-se  orelhões com ficha
- Para fazer interurbano precisávamos ir até a telefônica.
- Micro-ondas só mesmo no desenho dos JetSons onde a comida saia quentinha em 1 minuto!

Hoje
- Tênis de todas as marcas, cores, variedades (alguns custando inclusive 100X o de marca mais barata).
- Chinelos, sandálias, sapatos para todos os gostos.
- Roupas de grifes caríssimas rotulando pessoas de pobres e ricas,
(uma reportagem em uma revista de nome mostrou um vestido ao preço de um apartamento de classe média, uma calça jeans ao preço de um carro popular...).
- Celulares, eletrodomésticos, TV, etc são lançados a cada dia mais modernos mais bonitos a envolver o mundo ao consumismo vulgar.

Claro que tudo isto seria benéfico se o homem não se deixasse levar por seus excessos (...)

Ao reflexionarmos sobre o custo de tudo isto podemos imaginar o quanto de gases poluentes são lançados diariamente no ar para se produzir tudo o que é consumido no mundo!

Enquanto nos EUA 27% dos alimentos vão para o lixo na Somália 2 milhões de pessoas passam fome e 80 milhões de pessoas poderiam alimentar-se destes 27%!
No Brasil 30% da produção agrícola vai para o lixo enquanto nas regiões secas do nordeste crianças morrem de fome!

Se Allan Kardec levantou a bandeira do espiritismo “Fora da Caridade não há salvação” era porque a espiritualidade já sinalizava há 150 anos o caminho seguro para que a penúria fosse banida de nosso planeta.
Mas o homem por sua ganância, egoísmo, orgulho e vaidade cuida de se exceder e olha somente para seu habitat, quando muito lembra do parente próximo. Acha normal ter um armário abarrotado de roupas, sapatos e outras tantas futilidades que sequer lembra que tem devido os excesso estocado sem a menor culpa.

Está mais que na hora de resignificar tudo isto e entender o que é supérfluo e o que é necessário.

Joanna de Angelis no livro Leis morais da Vida afirma
"O que abunda em tua mesa falta em muitos lares”
alertando-nos que
“Há muito desperdício no mundo fomentando larga faixa de miséria entre os homens”.

Não é errado desejarmos coisas novas para nosso conforto, trabalhamos e merecemos, mas o excesso é pernicioso e precisamos reflexionar sobre isto.

Além dos livros referenciados hoje o Espiritismo conta com o livro “Cidades e Soluções” de André Trigueiro Jornalista e repórter da Globo onde ele defende a necessidade de cuidarmos de nosso ambiente focando não somente questões importantes como também lembrando que ética, amor e o cuidado com o planeta não devem e nem podem ficar esquecidos para nós espíritas.

Mahatma Gandhi em uma celebre frase
“Sejamos nós a mudança que queremos no mundo”!

Vejam que os animais irracionais que consomem somente aquilo que o satisfaz utilizando-se apenas o instinto.
Não causam desastres ecológicos porque a própria natureza mantêm o equilíbrio através da cadeia alimentar.

O homem, sendo o elemento racional acaba interferindo na natureza desequilibrando o meio ambiente afetando sua própria vida.
EX.
Austrália introduziu o coelho para exterminar os ratos e acabou tendo excessos de coelhos...

Em MG no Vale de Jequitinhonha os agricultores descobriram que ganhariam mais dinheiro plantando Eucaliptos para a Indústria de Papel e todas as áreas férteis tornaram-se improdutivas para outras culturas, pois esta árvore suga nutrientes do solo...

Como podemos contribuir além de criticar e nada fazer?
Precisamos entender, como seres racionais que somos, que tudo depende de tudo e não podemos fechar os olhos para a realidade.
Atitudes simples, corriqueiras são importantes. Façamos como as formiguinhas que junto formam um grande e produtivo formigueiro.

- Água = fechar a torneira ao escovar os dentes, banhos não tão demorados, lavar calçadas e molhar plantas com baldes (não utilizar mangueiras)...
- Lixo = Lembrar de reciclar (garrafas pets transformam-se em roupas e cadernos), o lixo orgânico em rico adubo e os vidros são reaproveitados...
- Roupas, utensílios, brinquedos e outros objetos que não mais nos serve devem ser doados (As Casas André Luiz tem o Mercatudo..., outras instituições promovem bazares) tudo pode ser transformado em luz a fim de diminuir a miséria humana.
- Energia elétrica = Desligar luz, TV e aparelhos quando não estivermos mais no ambiente.
- Combustível = Andar a pé e de condução coletiva sempre que possível.

Todos estes gestos estão dentro do que se espera de um bom Espírita, de um bom cristão, pois o exemplo através de atitudes positivas são portas abertas para a evolução do ser e do planeta.

No livro “Leis Morais da Vida” Joanna convida-nos a sermos pródigos sem sermos perdulários e generosos sem desperdiçar!

André Luiz no livro
“Sinal Verde” lembrando-nos da lei da ação e reação nos alerta com a seguinte frase: “Quem pratica o desperdício não reclame se chegar à penúria”.

No livro “Céu e inferno” que faz parte dos livros da Codificação parte II temos relatos de desencarnados que dizem arrependidos por não terem aproveitado mais sua encanação com a pratica de caridade e amor ao próximo.

Além das misérias humanas por conta do desperdício de ordem material Joanna de Angelis no livro “Leis Morais” nos brinda com uma página inteira de outros tantos tipos de desperdícios que, muitas vezes, nem nos damos conta:

- Desperdício de palavras = (falar sem parar, impensadamente... quantas vezes chegamos até conturbar o ambiente doméstico com nossa irritação, outras tantas tecendo comentários menos felizes totalmente desnecessários causando desconforto a nossa volta).

- Desperdício de tempo = (Desculpas para não ir ao trabalho e ficar dormindo, fingir de doente para desonrar compromissos, ficar horas incontáveis diante de programas de TV que nada acrescentam à nossa vida quando eu poderia estar contribuindo em algum serviço filantrópico... estudando... lendo ... me instruindo ... etc.)

- Medicamentos = (quantas vezes compramos um remédio e não utilizamos até o fim ou mesmo guardamos este ou outro para doenças que nunca chegam e perdem o prazo de validade e jogamos no lixo).

- Desperdiçar Saúde = (Trabalhar excessivamente por conta de garantir um futuro tranqüilo... No L.E. na lei do trabalho aponta a importância do repouso para garantir a saúde do corpo físico e mental, vida sem regra como beber ou comer muito, sexo sem responsabilidade levando até a doenças graves),

- Desperdiçar Inteligência = Temos oportunidade de estudar para sermos úteis para a sociedade, mas temos preguiça e nos acomodamos.

- Desperdiçar Talento = Quando chegamos aqui na Terra temos uma tarefa a cumprir, mas vamos deixando de lado e distraídos e invigilantes nos deixamos levar pelos apelos da carne e nosso tesouro permanece escondido por toda uma encarnação.

A vida passa muito rápido aos olhos humanos e ninguém poderá voltar ao passado em uma mesma encarnação...
...podemos nos arrepender e seguir o que dizia nosso querido Chico Xavier:


“Ninguém pode voltar atrás para fazer um novo começo, mas pode começar agora e fazer um novo fim!”


Muito obrigada,
Silmara Garcia


Fontes de Consulta: Livro "Leis Morais da Vida" - Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco , livros da Codificação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário