AGORA TAMBÉM TRADUZIDO PARA INGLÊS E FRANCÊS

Espiritism&AllanKardec

S'il vous plâit, en cas de doute, écrivez à:
Please, if in doubt, write to:

silmaragarcia@br2001.com.br



V I S U A L I Z A Ç Õ E S

27.000

Congratulations for this blog

Congratulations for this blog
Trabalhadores da Paz

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

FAMILIA - Palestra / Desapego Familiar

O tema “Desapego Familiar” tem como fonte de consulta o E.S.E. Cap.14, item 5 e o Livro Renovando Atitudes, Espírito Santo Neto Autor Espiritual: Hammed  

Falar de família é falar de gente,
Falar de família é falar de sociedade,
Falar de família é falar do mundo,
Falar de família é falar de amor!
Pois é justamente na família que exercitamos os primeiros acordes de amor, como mães, pais e filhos.
Amor é o grande ideal de qualquer religião cristã.

Lembrando que estamos prestes a comemorar o Natal e vemos em muitas lojas, casa e também na mídia a figura do presépio como representante da família cristã onde vemos Maria, José e Jesus em sua simples humilde manjedoura.

Impossível não nos emocionarmos ao relembrar Jesus em seu nascimento singelo. Nosso governador da Terra e maior exemplo para todos os Espíritos reencarnados no planeta Terra.

E este grande Mestre nos trouxe desde cedo inúmeros exemplos.

No cap. XIV E.S.E. temos, muito bem desenvolvido, a passagem bíblica de MC Cap.III v.20 quando Jesus explica a real ordem da família:

....Quando entra um de seus discípulos e diz:

- Mestre estão lá fora sua mãe e seus irmãos!

E Jesus estende as mãos apontando seus apóstolos e diz:

- Eis aqui minha mãe e meus irmãos porque todo aquele que faz a vontade de Deus este é meu irmão, minha irmã e minha mãe.

E a D.E. vem nos esclarecer que Jesus, nesta passagem, queria mostrar-nos que além de nossa família corporal temos a nossa família espiritual.

Lembrando que somos Espíritos vivendo uma experiência na Terra e nossa verdadeira Pátria é a Pátria Espiritual. Portanto a Família Espiritual é formada por Espíritos ligados por laços de afinidade, sintonizados pelos pensamentos e ideais dentro do mesmo padrão vibratório.

Isto explica nossa simpatia por esta ou aquela pessoa, muitas vezes, mais até do que um membro próximo de nossa própria família.

Desapego

Muitos interpretam a figura alegórica desta passagem bíblica de forma equivocada entendendo de forma equivocada julgando que Jesus queria que nos despojássemos de nossa família para seguir esta ou aquela religião em nome de Deus.

Quando no E.S.E., nossos irmãos evoluídos já nos indicam ser justamente na família onde exercitamos as virtudes do homem de bem.

Paciência, resignação, compreensão e toda e qualquer expressão da pura caridade.

O apego excessivo a toda e qualquer coisa é pernicioso tanto quanto o desapego absoluto pode significar desleixo.

O que aprendemos com a D.E. é que precisamos exercitar amor incondicional para com todos iniciando com a nossa família.

Papel de Pai

O papel de Pai na família precisará e deverá ser idealizado com total coerência, dentro do respeito com filhos e esposa.

Hoje, felizmente, pais já dividem a educação dos filhos porque é comum a mãe precisar ajudar financeiramente nas despesas.

Antigamente o pai tinha o papel de autoridade máxima da família causando muito mais temor do que respeito. Cabia ao pai a escolha do marido para a filha e da profissão dos filhos homens. Felizmente as coisas mudaram. O excesso de zelo ou rigor causa grande frustração e insegurança

Cabe ao pai caminhar junto de sua companheira, lado a lado para exercerem os reais papeis de educadores.

Papel da mãe

Se a família é a célula da sociedade a progenitora cabe o papel grandioso de fortalecer as bases desta célula.

E exercer o papel da mãe “sem apego” é tarefa difícil, principalmente atual sociedade, mas é necessário para que os filhos sintam-se seguros o suficiente para enfrentarem o seu papel na sociedade deste cedo.

Crianças mimadas demais se tornam adultos com dificuldade de lidarem com as perdas.

Crianças de mães super-protetoras tornam-se adultos inseguros incapazes de resolveres suas adversidades.

No livro Depressão, Causas, Conseqüências e Tratamento, Izaías Claro diz que “O apego é conseqüência de sentimento de posse, dependência. Insegurança e ainda a falta de fé na imortalidade da alma”!

Pais, mães e filhos, todos estes Espíritos se unem para formarem uma família com a finalidade única de evoluírem.

Aos pais o importante papel de educar. Mas quantos são os filhos que vêm justamente para ensinar seus pais nas sendas da evolução?

Como Espíritas precisamos ter a total convicção que logo mais estaremos juntos novamente. Se a fé nos faltar, a todo e qualquer momento recorramos à prece.

Os laços de carne se rompem, mas não os laços de amor!

Vezes seremos pais outras mães e filhos trocando os papéis para que possamos ajudar uns aos outros para que cresçamos juntos.

Um exemplo maravilhoso de que os familiares têm oportunidade de se reencontrarem esta no livro “Nosso Lar” de André Luiz.

Quem assistiu ao filme ou leu a obra haverá de lembrar-se de diversas situações:

(1) Encontro de André Luiz com sua mãe no plano espiritual – muito especial e comovente.

(2) Diálogo de Lísias com sua noiva espiritual acertando como seria a sua próxima encarnação na terra.

(3) Volta de Dna. Laura, mãe de Lísias, para a Terra (como missionária) de forma a receber a neta Eloísa, (Desencarnada e desajustada) a fim de ajudá-la em sua evolução.

A desencarnação faz o ser exercitar os diversos papeis e assim exercitarem sua individualidade como Espíritos.

Agarrar-se a familiares de modo exagerado gera desajustes e doenças psicológicas levando o individuo a diversos desequilíbrios.

A D.E. é maravilhosa, pois nos ensina que a morte do corpo não é o fim e não destrói os laços de amor verdadeiro – ao contrário cria diversos vínculos de afetividade entre as almas.

Mas cada um de nós deve exercitar sua individualidade, aprender suas próprias lições...


Em família podemos, sim, oferecer sempre uma atmosfera de compreensão e apoio e nunca de autoritários e carcereiros de ideais.

Jesus lançou o ensinamento do “AMOR SEM FRONTEIRAS” que com o advento do espiritismo entendemos estar este amor cada vez mais fortalecido com nossas múltiplas existências onde a meta será sempre o exercício da fraternidade UNIVERSAL.

Como espíritas sabemos que logo mais todos nós estaremos juntos em um mundo novo, cheio de amor, sem fronteiras onde todos os homens se unirão em um único alo de luz.

Muito obrigada por sua atenção. Paz e Luz a todos!

Um comentário:

  1. Lindo o texto, bem como a reflexão. Parabéns!

    ResponderExcluir